Conheça um pouco mais sobre o escritor

Gosto daquilo que me desafia, escreveu Clarice Lispector.

A frase traduz bem a minha trajetória.

Se não gostasse tanto de desafios, seria apenas um engenheiro mecatrônico. Nada contra a profissão, mas sou bem mais feliz com as múltiplas atividades que desenvolvi ao longo da vida.

Disse que seria engenheiro mecatrônico, porque fiz eletrônica no ensino médio e já tinha feito eletricidade no Senai. O caminho natural seria ser engenheiro.

Mas aí surgiu um desafio que me fez mudar de rumo.
Venci um concurso de redação no colégio e o texto me levou ao jornal da cidade. De repente, fui convidado a escrever como se fosse jornalista.

Descobri nisso várias paixões: escrever sobre tudo, criar histórias, trabalhar realidades diferentes, entender públicos diversos, mudar a vida das pessoas a partir do que eu pudesse contar delas.

Então decidi pelo jornalismo profissional e fui estudar.

Mas fui demitido no primeiro mês de faculdade, que era paga.

Voltava do quartel e tinha apenas um mês e meio de estabilidade. Vencido o período, fui para a rua.

Para custear os estudos, tive de me reinventar.

Novo desafio.

Fiz bicos como eletricista, instalador de telefones, contato comercial, monitor de redação e jornalista.
A duras penas me formei.

Trabalhei em muitos lugares como jornalista por décadas, mas os principais foram Folha, Gazeta Mercantil, TV Globo e rádio Jovem Pan.

Em 2002, decidi me especializar na área política, onde já atuava como jornalista também.

Passei a trabalhar com assessoria para detentores de mandato e para órgãos públicos, depois fiz consultoria para candidatos chegarem ao poder e por último atuei na estruturação de campanhas e na criação e manutenção e/ou consolidação de imagem pública.

Entre 2017 e 2019, fui o quarto secretário da história de Comunicação e Eventos da Prefeitura de Sorocaba.

Em paralelo às duas atividades, fiz curso de gestão de marketing, com especialização em comunicação integrada, e trabalhei em vários locais exercendo essa atividade, com destaque para agências de propaganda, como a Zoom Foccus, de Sorocaba, e a Canal de Comunicação, de Campinas.

Na iniciativa privada ainda atuei por 11 anos no grupo JLJ Empresas, de Salto, que surgiu da empresa Nutriplus Alimentação e Tecnologia.

Mas os desafios não pararam.

Depois de tudo isto, voltei a mudar o foco das ações profissionais por conta de uma cirurgia difícil a que tive de me submeter. Passei a trabalhar então como consultor literário, como consultor político ainda e como freelance para veículos de comunicação, mas fundamentalmente atuava como professor de escrita criativa, com aulas online, que realizava por meio do meu site de então (eloydeoliveira.com.br).

Hoje sou o editor responsável pelo Jornal PrimeiraFeira, que produz um jornal impresso e online em Salto.

Também sou articulista do jornal Taperá, de Salto.

Muito antes da mudança de rumo que me levou para o jornalismo profissional, eu já escrevia literariamente e no meio dessa jornada toda, em 2015, passei a integrar a Academia Saltense de Letras.

Sou autor de 20 livros sozinho e em parceria.

Se me perguntarem agora, se quero parar, a resposta será nunca.

A cada dia aprendo coisas novas que vão do campo da sensibilidade pessoal à profissional, desenvolvendo conceitos, criando histórias e fazendo mudanças em pessoas, instituições, empresas e em todo lugar onde me deixam me expressar ou eu o faça, mesmo que não me deixem.

Até porque espaços são conquistados, vitórias são alcançadas e resultados são obtidos apenas por quem nunca se entrega.

A minha energia é o que me desafia.

Já vai?

Antes de ir, faça o seu cadastro para receber informações e promoções diretamente no seu e-mail. A vantagem é saber antes.